BEM-ESTAR, ORIENTAÇÃO PARA A FELICIDADE & INCAPACIDADE ASSOCIADA À LOMBALGIA

Investigadores IntegradosJoaquim Monteiro (IR), Odete Nunes

 

A presente investigação pretende verificar os efeitos dos aspetos afectivos/cognitivos do bem-estar, aqui considerados respetivamente como felicidade subjetiva (Lyubormirsky & Lepper, 1999) e satisfação com a vida (Diener, Emmons, Larsen, & Griffin, 1985), sobre a incapacidade sentida/percebida a partir da lombalgia (Roland & Morris, 1983) em estudantes universitários e trabalhadores portugueses. Considerada como um grave problema de saúde para aqueles que a vivenciam e para a comunidade onde se inserem, também é uma disfunção responsável por elevados gastos anuais em seu tratamento e em licenças laborais (Monteiro, 2012). Nesta etapa inicial, pretende-se avaliar o papel da orientação para a felicidade (Peterson, Park, & Seligman, 2005) na relação entre o bem-estar (afetivo/cognitivo) e a perceção de incapacidade pela lombalgia. Será realizado um estudo empírico de natureza quantitativa e com a aplicação do protocolo de investigação em dois momentos, cuja recolha de dados será estruturada e operacionalizada através do método do inquérito, com recurso à técnica do questionário auto-administrado (Moreira, 2004). Será proposto um modelo estrutural de relações entre as variáveis estudadas. Pretende-se ampliar o conhecimento sobre antecedentes que possam contribuir para a prevenção da incapacidade criada a partir das lombalgias, expandindo a rede nomológica do conceito (Cronbach & Meehl, 1955).

 

English English Português Português